cadastre-se
sair
perfil

Artigos

photo
Alexandre Pierantoni Sócio | PwC Brasil O Plano de Negócios (“Business Plan”)

  • 32



Como um dos maiores aliados do empreendedor na hora de realizar a avaliação da empresa, o Plano de Negócios deve ter uma estrutura sólida, mas não existe conteúdo padrão.

Em minha coluna anterior abordei o conceito de avaliação de empresas que tem, em uma de suas metodologias básicas (rentabilidade futura, utilizando-se de fluxos de caixa projetados) um forte suporte no Plano de Negócios (“Business Plan”) da empresa. Nesta coluna, dada a importância do Plano de Negócios, desenvolverei um pouco mais o tema.

O Plano de Negócios é uma poderosa ferramenta gerencial para as empresas desde seu nascimento (start-up) até sua maturidade. Este material tem o objetivo de “olhar para frente”, alocando recursos humanos, tecnológicos e financeiros, observando os pontos chaves, identificando as oportunidades e antecipando possíveis dificuldades. Essa ferramenta é vital para a continuidade da empresa, mesmo para aquelas que não buscam qualquer tipo de recurso financeiro, capitalização ou posicionamento de mercado. Independente do tamanho de sua empresa ou projeto é fundamental elaborar um Plano de Negócios.

Um Plano de Negócios bem estruturado tem por objetivo ajudar o empreendedor/ executivo a planejar e focar suas idéias, tomando as ações pensadas para sua empresa, ao mesmo tempo em que é uma ferramenta de acompanhamento e definição de metas e gerenciamento de riscos.

Existem diversas formas de elaborar um Plano de Negócios, mas não existe uma formatação única ou um padrão. A seguir, um sumário dos itens que acredito podem ser utilizados como um guia simplificado e eficaz.

  1. Sumário executivo
  2. História da empresa/ ou do projeto
  3. O produto/serviço
  4. O mercado
  5. A concorrência
  6. Marketing
  7. Manufatura e operações
  8. Equipe de gestão
  9. Resultados históricos (quando disponíveis) e projeções financeiras

O empreendedor e sua equipe devem assumir a preparação do Plano de Negócios, estabelecendo a visão geral do plano, sua aplicação, seus prazos e objetivos. Esse exercício é parte importante do planejamento estratégico das organizações que se encontram melhor estruturadas.

Ao mesmo tempo em que todo o material é importante, faço alguns comentários específicos sobre a seção de resultados históricos e projeções financeiras. Nesta seção, todos os pressupostos e os dados quantitativos apresentados em outras partes são submetidos a um teste numérico. Em outras palavras, as projeções financeiras são elaboradas com todas as estimativas de vendas da empresa, todos os custos de produção, distribuição, logística e despesas comerciais e administrativas em um resumo de tipo financeiro. Devemos elaborar as projeções financeiras para um período de três a cinco anos para que estas sirvam como orientação para a equipe de gestão sobre os objetivos da organização nesse período e também para comunicá-las a instituições financeiras ou possíveis investidores. O plano financeiro deve ser elaborado em padrões mínimos conhecidos, podendo ser mais simplificado ou detalhado de acordo com seu segmento de mercado e a qualidade das informações obtidas em toda sua pesquisa, mas em resumo conter como resultados (“output”):

• Demonstrações financeiras (balanço patrimonial, demonstrativo de resultados/ lucros e perdas e fluxo de caixa) dos últimos anos (se disponível);

• Projeções financeiras e fluxo de caixa para o período de três anos;

• Análises econômicas: ponto de equilíbrio, lucratividade, retorno sobre investimento, etc.

Quando houver a necessidade de recursos financeiros externos por meio de financiamento, é importante incluir em suas projeções um resumo desde a utilização até a liquidação dos recursos. Potenciais investidores e financiadores querem ver quanto recurso financeiro seu negócio irá precisar e a capacidade de pagamento e geração de valor do negócio.

 

Alexandre Pierantoni é sócio da PwC Brasil, especialista em Corporate Finance, e também escreveu o artigo "Qual o valor do meu negócio?".

* Em Julho de 2010, a PwC elaborou o documento “Como Criar um Plano de Negócios” que foi utilizado como base para esta coluna elaborada por mim em parceria com meu sócio Carlos Mendonça. Acesse o material completo.

 

 

 


COMENTÁRIOS

Deixe seu comentário

100 Caracteres
Enviar

Selecione a(s) categoria(s) que deseja ler:



Categorias